A formalização de profissionais tem crescido no Brasil. O Portal do Empreendedor apontou que o país tem atualmente mais de 11 milhões de microempreendedores individuais (MEIs) registrados no Brasil.

Entre os motivos que podem ter influenciado os empreendedores, são os benefícios concedidos pelo governo durante a pandemia.

De acordo com Alexandre de Carvalho, contador há mais de 20 anos e um dos fundadores de Easymei, a crise, como um todo, auxiliou no crescimento do número de MEIs no país.

“O MEI é uma forma de sair da informalidade, regularizar a profissão e buscar novas possibilidades de renda. As pessoas estão percebendo que o MEI é uma porta de entrada ao empreendedorismo e uma alternativa às altas taxas de desemprego”, afirma.

Segundo o especialista, é comum que as pessoas pensem que apenas registrados como CLT têm vantagens e benefícios, mas o MEI também tem.

“Abrir uma microempresa significa criar novas oportunidades de trabalho, como vender e prestar serviços para empresas com emissão de nota fiscal e até participar de licitações do governo.”

Benefícios MEI

Confira os benefícios dos microempreendedores individuais:

Benefícios previdenciários: Ao se formalizar, o MEI passa a ter coberturas de aposentadoria por idade, com mulheres aos 60 anos e homens aos 65 anos; auxílio doença ou aposentadoria por invalidez com contribuição necessária de 12 meses; salário maternidade com pagamento de impostos por 10 meses; pensão por morte e auxílio reclusão com duração variável para o beneficiário, no caso do óbito do cônjuge ou familiar.

Desconto na compra de carro: As montadoras oferecem desconto para o que o empresário tenha a oportunidade de comprar um veículo 0 km. Para aproveitá-lo, é preciso entrar em contato com a montadora para entender a política de cada uma, já que o desconto pode ir de 2,5% a 30%.

Plano de saúde: Desde 2018, a Agência Nacional da Saúde Suplementar (ANS) liberou que empresários individuais pudessem ter plano de saúde empresarial. E isso inclui o MEI. A vantagem desse modelo de contratação é uma redução de até 35% do valor. Para adquirir um plano, é necessário ter uma empresa ativa há pelo menos 6 meses e contar com, no mínimo, um dependente, que pode ser um funcionário do MEI ou um familiar.⠀

Cartão BNDES: Uma das facilidades dos microempreendedores individuais é ter acesso ao cartão BNDES, que serve para financiar investimentos de qualquer tipo – dentro do limite máximo de faturamento. Para ter esse cartão, você precisa ter uma conta aberta em um dos bancos emissores e acessar o site do cartão para solicitá-lo.

Crédito: O microempresário individual pode conseguir crédito com taxas atraentes em bancos que oferecem a oportunidade de empréstimo fácil ao microempreendedor.

Contudo, é importante lembrar que, para ser MEI, é preciso seguir algumas regras como exercer as atividades permitidas pela legislação; ter um faturamento de até R$ 81 mil no ano; no máximo, 01 funcionário; e não ser sócio de outra empresa.

CURTIU?
Acompanhe